Campeonato Nacional Access 2015 chega ao final

vela 2

Realizou-se este fim-de-semana o Campeonato Nacional Access 2015 na Marina de Portimão. O evento, organizado pelo Iate Clube da Marina de Portimão e pelo Projecto Vela Solidária da Associação Teia d’Impulsos, contou com a participação de 23 velejadores de todo o país em cerca de 20 regatas ao longo de três dias de prova.

Na classe 303 Duplos, o campeonato foi disputado com muita emoção até à última regata.
João Pinto e Guilherme Ribeiro, do Iate Clube Marina de Portimão terminaram a prova e 1º Lugar. Com apenas dois pontos de diferença, André Bento e Pedro Reis, do Clube Naval de Cascais, ficaram em 2º lugar, seguidos de Ana Cunha e Carlos Araújo, também do Clube Naval de Cascais.
Em 2.3 Singles, a prova foi dominada por José Carvalheiro, do Clube de Vela de Viana do Castelo, que se sagrou campeão nacional nesta classe após 9 vitórias consecutivas. De acordo com o atleta, a vitória tem um “sabor amargo” devida à recente exclusão da categoria no Campeonato Europeu Access. Em segundo lugar ficou Licio Silva e em terceiro Rui Downling, ambos do Clube Naval da Horta.
Pela primeira vez em Portugal, e dada a exclusão da categoria 2.3 do Europeu, foram realizadas a título experimental, regatas na classe 303 singles. Nesta classe foram realizadas 3 regatas nos dois primeiros dias de prova, todas ganhas pelo atleta do Iate Clube Marina de Portimão – João Pinto. O segundo e terceiro lugares foram acupados por dois atletas do Clube Naval de Cascais, Pedro Reis e Ana Cunha, respectivamente.

O Campeonato Nacional Access terminou a 14 de Junho, com uma cerimónia de entrega de prémios que contou com a presença da Presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, o Presidente da Junta de Freguesia de Portimão, Álvaro Bila e Marina Correia, da Marina de Portimão. A Associação Portuguesa da Classe Access não esteve presente.
O objectivo da Vela Adaptada é promover a prática da vela a pessoas portadoras de deficiência, criando condições materiais e humanas à acessibilidade e integração social dos seus praticantes, com relevo especial à formação de todos os interessados e seus acompanhantes.
A vela torna-se uma oportunidade privilegiada de obter (ou manter) uma relação os desportos aquáticos e o mar. No final dos três dias de prova, o balanço foi muito positivo tanto dentro como fora do campo de regata.

Já começou o Campeonato Nacional Access 2015

vela

Terminou o 1º dia de provas do Campeonato Nacional de Vela Adaptada, que contou com 23 velejadores do país inteiro. As primeiras regatas do dia foram marcadas por vento fraco e bastante inconstante o que dificultou bastante a prestação dos atletas.
Na classe 303 Duplos, a equipa do Iate Clube da Marina de Portimão, com João Pinto e Guilherme Ribeiro, terminou a prova em 1º lugar depois de três vitórias consecutivas. André Bento e Pedro Reis, e Ana Cunha e Carlos Araújo do Clube Naval de Cascais, terminaram o 1º dia de prova em 2º e 3º lugar respectivamente. Na Classe 2.3, José Carvalheiro do Clube de Vela de Viana do Castelo terminou o primeiro dia de prova em 1º lugar, depois de três vitórias nas regatas do dia. Luís Silva e Rui Dowling, ambos do Clube Naval da Horta terminaram o dia em 2º e 3º lugar
Pela primeira vez em Portugal, o Campeonato Nacional Access ficou marcado pela realização de regatas na Classe 303 em Singulares. As duas regatas, realizadas no final do dia foram marcadas por vento forte e alguma ondulação. João Pinto, do Iate Clube da Marina de Portimão terminou as duas provas em 1º lugar, seguido de Pedro Reis do Clube Naval de Cascais e Jorge Gonçalves do Clube de Vela de Viana do Castelo.

Campeonato Nacional de Vela Adaptada

Vela Camp

O Iate Clube Marina de Portimão e a Associação Teia D’Impulsos, através do seu projeto Vela Solidária realizam, nos dias 12, 13 e 14 de Junho, o Campeonato Nacional de Vela Adaptada, Classe Access, na Marina de Portimão. Esta será a prova de vela adaptada mais importante, realizada em Portugal no ano de 2015 e contará com a presença de cerca de 35 velejadores e 30 técnicos e voluntários em representação de 10 clubes de Portugal Continental, Madeira e Açores.

Associado ao Campeonato haverá um programa social que inclui uma comida marinheira nos dias 12 e 13 de Junho e a entrega de prémios no dia 14 de Junho. Todo o programa social será localizado no espaço exterior da receção da Marina de Portimão.
Convidamos a todos a estarem presentes. Mais informamos que teremos à vossa disposição meios que permitem a recolha de imagens dentro de água. Para qualquer esclarecimento, por favor contactar Maria Nobre de Carvalho no número +351 912 417 907 ou através do email geral@velasolidaria.pt

Data: Sexta, 12, 13 e 14 de Junho 2015
Local: Marina de Portimão
Início das Regatas: 12h00
Resultados e Comida Marinheira: 18h00
Entrega de prémios (dia 14): 18h00

João Pinto completa desafio “Algarve Há Vela”

Pinto

Está Concluído o Desafio “Algarve Há Vela”!
João Pinto, paraplégico com lesão medular desde há dois anos, percorreu a costa algarvia a bordo de uma embarcação à vela, este fim-de-semana de Páscoa 17 e 20, com o objectivo de promover a prática da vela adaptada para pessoas com deficiência.
O objectivo da Vela Adaptada é promover a prática da vela a pessoas portadoras de deficiência, criando condições materiais e humanas à acessibilidade e integração social dos seus praticantes, com relevo especial à formação de todos os interessados e seus acompanhantes.

Comparativamente com a vela tradicional, os barcos de vela adaptada têm de ser mais seguros e não podem virar. A prática da modalidade exige um menor esforço físico, mas em termos teóricos, técnicos e tácticos é muito semelhante à vela tradicional. A vela torna-se então uma oportunidade privilegiada de obter (ou manter) uma relação os desportos aquáticos e o mar. As dificuldades existem evidentemente, mas o voluntarismo e a vontade tudo ultrapassa.
No âmbito do Projecto Vela Solidária e na sequência do início da actividade da Escola de Vela Adaptada, em 2013 – tendo como objectivo proporcionar a participação em regatas inseridas nos quadros competitivos nacionais e internacionais, João Pinto aceitou o desafio e lançou-se na aventura.
Nas palavras do João, “Considero que nasci para o desporto, é por isto que gosto de viver. Este é um desafio que quero concretizar para sensibilizar e promover a vela adaptada a pessoas com deficiências.”

Mais informações em Algarve Há Vela

Algarve Há Vela

Algarve Vela

Em finais de 2011 e principios de 2012 a Vela Solidária começou a dar resposta a solicitações de instituições cujas populações alvo são pessoas portadoras de deficiência. Em Dezembro de 2013 e em estreita parceria com o Iate Clube da Marina de Portimão, lançamos a escola de vela adaptada destinada a pessoas portadoras de deficiência física.
A vela continua a ser vista como um desporto elitista e inacessivel à grande maioria da população e às pessoas portadoras de deficiência em particular. Com o objetivo de sensibilizar a população algarvia, instituições, decisores políticos e o tecido empresarial do Algarve, o velejador João Pinto – vice-campeão da Europa e Campeão Nacional de vela adaptada no ano de 2013, – propõe-se percorrer a costa algarvia numa embarcação da classe Access 303 utilizando o vento como único meio de propulsão.
Este desafio, com a designação de “Algarve Há Vela”, terá início Em Lagos e terminará em V.R.S. António, passando no seu trajeto por, Portimão, Albufeira, Vilamoura, Faro, Olhão e Tavira. Desta forma, pretendemos demonstrar as potencialidades da prática da vela, bem como angariar novos parceiros que possibilitem à Vela Solidária chegar a todo o Algarve.

Vela Solidária inicia actividade no Porto

bb douro

Este domingo, dia 13 de Abril 2014, a Vela Solidária abriu actividades no Porto em parceria com a BBDouro e a marca BBDouro for ALL. As actividades tiveram início às 10h00, e contaram com a participação de 112 crianças e jovens de várias instituíções e centros do norte do país.
O grupo de crianças e jovens foi dividido em grupos e tiveram oportunidade de andar à vela no Rio Douro. No final das actividades foi feita a apresentação do Projecto Vela Solidária, e da Marca BBDouro for ALL e assinado o Protocolo de Trabalho entre as Associações. De hoje em diante, a BBDouro irá desenvolver actividades de Vela Solidária e Vela Adaptada semanalmente nomeadamente com o Escolhe Vilar, Projecto Transformers, APEE Autismo, entre outros.

A missão de quebrar o elitismo desportivo da vela e contribuir para uma melhor integração social, com base na prática regular de vela continua a ser o nosso grade alicerce.
Para a abertura das actividades na cidade do Porto estiveram presentes Luís Brito, fundador da Vela Solidária, Tiago Águas, Coordenador de Projecto e Maria Nobre de Carvalho, Directora de Comunicação do projecto. Um especial agradecimento a toda a equipa BBDouro – nomeadamente aos skippers Hugo Freitas, João Cunho, Tiago Morais, Sebastião Rosas, Frederico Silva e Stefani Mota por terem proporcionado uma experiência de vela inesquecivel a todos os jovens; a Ana Guedes pela colaboração na organização do evento; e a Diogo Barros, Director Geral da BBDouro pela iniciativa e entusiasmo com que se juntou à Vela Solidária.

Vela Solidária já navega no Rio Tejo

vela 1

A Vela Solidária chegou a Lisboa e irá de agora em diante realizar actividades de vela dirigidas a crianças e jovens institucionalizadas ou que se encontram integradas em projectos de integração sociais.
Estas actividades têm como principais objectivos a aquisição de conhecimentos na área da prática da vela, bem como na aquisição de competências na gestão de conflitos, trabalho em equipa, superação e elevação da autoestima.

Com esta replicação a Vela Solidária está a concretizar um dos seus objectivos em aumentar a abrangência territorial deste projecto e dos seus benefícios directos para estas crianças e jovens.
Esta expensão só é possível graças à parceria com o Centro náutico Terra Incógnita, que para além de ter abraçado a Vela Solidária como o seu projecto de responsabilidade social, irá garantir todos os recursos humanos e materiais para que as actividades decorram com qualidade e excelência.
Acompanhe a Vela Solidária através do nosso Website, LinkedIn ou siga a nossa página no Facebook – “Rumamos a Um Futuro Melhor”

A Aventura dos Embaixadores da Vela Solidária

babile

Os velejadores João Liberato e Natali Santos cumpriram o primeiro grande desafio da sua volta ao mundo, ao chegarem a terras do Cristo Redentor, três meses após zarparem de Portimão.
A travessia até Fernando Noronha foi bastante rápida, com passagem pelo Equador e como não podia deixar de ser, o batismo dos tripulantes do Babilé em honra do Deus Neptuno.
Depois, restava chegar ao continente Sul Americano e finalizar a travessia do Oceano Atlântico. Dois dias foi o tempo necessário para percorrer a distancia que fez o Babilé chegar a Recife e ai deparar-se com uma cidade imponente, barulhenta e tranquila ao mesmo tempo.
O João e a Natali para além de Amigos, aventureiros e exemplos de vida são Embaixadores da Vela Solidária e esperamos encontrar condições para que no Brasil possam transmitir estas experiências tão ricas a crianças e jovens desfavorecidos e a pessoas portadoras de deficiência e assim contribuírem para que a Vela Solidária se replique junto dessas comunidades.

A Aventura dos Embaixadores da Vela Solidária

Babilé já iniciou a Volta ao Mundo e a Vela Solidária está a bordo

Babile

O Sonho Começou!!!
Rodeados por familiares e amigos o João Liberato e a Natali Santos subiram a bordo do “Babilé” para zarparem de Portimão rumo à Volta ao Mundo que os levará a cruzar os 5 oceanos e a tocarem os sete continentes.
Mais de uma centena de pessoas estiveram na Marina de Portimão para se despedirem e desejarem boa viagem ao João e à Natali, nesta aventura que irá durar três anos e que os colocará em contacto com uma diversidade imensa de pessoas e culturas.
No mar, a acompanhá-los nas primeiras milhas percorridas, rumo ao porto de Lanzarote, estiveram lado a lado com o “Babilé” mais de duas dezenas de embarcações com miúdos e graúdos que quiseram partilhar os primeiros minutos desta experiência.
Para além de toda esta vivência, das emoções e de uma enorme alegria que emanava do “Babilé”, também os valores da Vela Solidária eram bem presentes, pois o acreditar e lutar pelos objectivos de vida, transpondo adversidades e impondo a auto superação, são a base de todo este projecto e será aquilo que fará o João e a Natali chegarem sempre a um porto seguro.
Acompanhe o João e a Natali a bordo do Babilé e assista às actividades que irão promover enquanto Embaixadores da Vela Solidária, através das páginas www.facebook.com/ondeestaobabile? e www.facebook.com/vela.solidaria.

Nota de Imprensa 34-2013

Embaixadores da Vela Solidária em Volta ao Mundo

Volta Mundo

O João Liberato, portimonense de gema, e a Natali Santos nascida no Brasil, no dia 10 de Novembro de 2013 darão inicio à concretização do sonho que os une – realizarem uma volta ao mundo numa embarcação à vela. Esta volta ao mundo está prevista durar três anos e há mais de um ano que o João e a Natali estão a preparar o Babilé para esta aventura.
O Babilé é uma embarcação em ferro, com cerca de 20 anos e que teve de ser praticamente toda reconstruida para dispor das condições de habitabilidade, conforto e segurança necessárias para que este jovem casal possa cruzar os cinco oceanos e vencer os ventos dos quatro quadrantes.
No próximo dia 10 de Novembro, o João e a Natali irão zarpar de Portimão acompanhados pelas cores, valores e actividades da Vela Solidária. O João e a Natali irão assumir o papel de Embaixadores da Vela Solidária, com o objectivo de divulgarem este projecto pelos vários pontos do mundo onde irão passar. O João e a Natali terão como missão demonstrar as potencialidades da prática da vela nas populações mais desfavorecidas, assim como sensibilizar os poderes locais, as escolas e empresas para os benefícios a médio e longo prazo, da integração socio – desportiva destas populações.

Nota de Imprensa 33-2013