Novidades Janeiro 24

As Novidades TDI em Janeiro de 2024

Faça parte desta viagem…
Doe 0,5% do seu IRS à Teia

O próximo destino é a aquisição de uma carrinha adaptada que transportará crianças, jovens e adultos com diversidade funcional para experiências incríveis!

A partir de agora já pode selecionar uma instituição solidária à qual atribuir esta doação, mesmo antes de entregar a sua declaração de IRS. Se lhe dissermos que o seu impulso de ajudar não lhe custará um cêntimo? 

Esses 0,5% iriam de qualquer forma para o Estado e, assim, são remetidos diretamente para a instituição escolhida – que podemos ser nós. O valor de IRS angariado destina-se a uma carrinha adaptada. Não é preciso pensar muito para embarcar nesta viagem e ceder ao impulso do coração.

Teia D’Ideias

E daqui a 50 anos? A liberdade de partilhar boas ideias

1ª Conversa: Envelhecer ativamente e ser jovem com saúde mental

Aproveitando a “liberdade de partilhar boas ideias“, comemorando os 50 anos do 25 de Abril, estreámos já a nossa primeira conversa informal sobre um assunto da atualidade: Envelhecimento e Saúde Mental. A Casa Manuel Teixeira Gomes esteve cheia e a audiência parece ter apreciado bastante as reflexões das nossas convidadas.

Horta Sensorial

A SENTIR continua a “dar frutos” e muito graças às visitas assíduas da Unidade de Educação Especial do Agrupamento de Escolas Poeta António Aleixo. Depois das lentilhas germinarem no copo com algodão, como se pode ver neste trabalho feito em aula, da última vez já as colocámos na terra!

Impulsos que se seguem…

Rota Solidária 2023

Ação de formação para projetos sociais

Iniciamos Fevereiro a “distribuir” o valor angariado com a venda dos Passaportes da Rota do Petisco 2023, através de um Bootcamp de Empreendedorismo Social em Albufeira que pretende capacitar as instituições sociais a melhor desenvolver os seus projetos.

Teia D’Ideias

Imigração, Desafios e Benefícios da Multiculturalidade

Seguimos a 16 de Fevereiro para uma segunda conversa, desta vez, sobre Imigração e Multiculturalidade. Uma vez mais, pelas 19h00 na Casa Manuel Teixeira Gomes. Se não puder comparecer, assista em direto através da nossa página de Facebook.

Lota Cool Market

Mercado mais Cool do Sul já tem datas

Foram divulgadas as datas da próxima edição do Lota Cool Market, na Antiga Lota de Portimão, marcado entre 24 e 28 de Julho. 

As inscrições para artesãos, foodtrucks e produtores, abrem na primeira semana de Março. Esteja atento.

envelhecer ativamente e crescer com saúde

Teia D’Ideias partilha como envelhecer ativamente e crescer com saúde mental

Na sexta-feira passada a Teia D’Impulsos teve a liberdade de partilhar boas ideias, a partir da Casa Manuel Teixeira Gomes, na sua primeira tertúlia Teia D’Ideias que celebra os 50 anos da democracia. Com casa cheia, a conversa recaiu sobre o “Envelhecimento e Saúde Mental”. 

As comemorações dos 50 anos do 25 de abril já começaram na cidade de Portimão com a primeira tertúlia dedicada a um tema da atualidade e a sua reflexão para os próximos 50 anos. No encontro de estreia estiveram à conversa Maria do Carmo Cruz, coordenadora de Saúde Mental da Região do Algarve do CHUA; Luísa Martins, presidente da Espiral de Vontades, e Iola Fernandes, diretora da Santa Casa da Misericórdia de Castro Marim.

médica psiquiatra Maria do Carmo Cruz definiu envelhecimento enquanto “processo contínuo de modificação do organismo físico e psicológico” e saúde mental como “o bem que vem muito além da ausência de doença” existindo quando “uma pessoa consegue aproveitar todas as suas capacidades para funcionar a nível social, familiar e profissional, e ser capaz de enfrentar as situações de stress do dia a dia”.

O Algarve tem um problema grave de envelhecimento fruto de grandes discrepâncias geográficas, entre a serra e litoral, e com zonas muito isoladas, o que faz com que muitos idosos “estejam realmente muito afastados e em solidão”. Os maiores desafios são, segundo a médica, a falta de transportes e a reorganização da estrutura familiar com o núcleo de filhos e netos a afastar-se, cada vez mais, para os centros urbanos.

Maria do Carmo Cruz comenta que ainda que a pessoa não tenha qualquer doença perde capacidades durante o seu envelhecimento e que “as famílias vêem-se com grandes dificuldades com a falta de estruturas que dêem apoio” nesta área. É fundamental que as autarquias e freguesias estruturem esse tipo de ajuda e que os idosos tenham acesso a ele a partir das suas terras, sem terem de se deslocar para longe. “O ideal é termos estruturas para atuar o mais precocemente possível” através das mais diversas sinergias, sustenta.

Já o envelhecimento ativo significa “vivê-lo com a maior saúde possível”, arranjando estratégias para enfrentar o stress e “eventos de vida negativos como as dificuldades económicas, as perdas de emprego e as mortes”.

Além da alimentação saudável, com a dieta mediterrânica, de um sono reparador e do exercício físico, Maria do Carmo Cruz realça que “o nosso cérebro agradece que tenhamos bons relacionamentos sociais, boas relações com a família, e que tenhamos momentos de prazer”. Algo tão simples como ir ver o mar faz o cérebro segregar substâncias positivas como a dopamina e reduzir o cortisol, que causa o stress. A médica psiquiatra conclui: “É fundamental que saibamos envelhecer com saúde, tal como saibamos ser jovens e adultos com saúde mental.”

Retardar o envelhecimento na serra algarvia

O voluntariado é também uma das estratégias, realçadas pela médica, que contribui para a nossa saúde mental. E foi assim que nasceu a Associação Espiral de Vontades, em 2011, em Monchique. A sua fundadora, Luísa Martins, conta que o grupo de amigos começou a recolher tampinhas (de plástico, caricas e rolhas) para reciclagem e, com esse gesto, adquirir cadeiras de rodas para crianças com diversidade funcional de toda a região do Algarve. Em seguida, criaram a Loja Social que apoia pessoas carenciadas.

A Espiral de Vontades construiu, em Monchique, a única sala de neuro estimulação (Snoezelen) aberta ao público no Algarve com fisioterapia, psicomotricidade, terapia da fala, massagem terapêutica e nutrição. Neste momento, através do PDR2020 Renovação de Aldeias, a sala está a ser ampliada para poder oferecer ainda mais terapias. Luísa explica que naquele espaço “podemos fazer terapia ou estimulação sensorial também com pessoas saudáveis para que não percam a sua memória”.

Em adição, existe o projeto “Idosos em Movimento” através do qual a Associação percorre as freguesias do concelho de Monchique para sessões de fisioterapia e psicomotricidade de forma a “retardar a falta de mobilidade” da população envelhecida. 

A enfermeira atenta que “há locais difíceis de chegar e pessoas que viveram tanto tempo em isolamento, sempre ocupadas na agricultura e a cuidar dos animais, que depois não fazem fazer mais nada” nos tempos de lazer, sendo importante criar atividades que vão ao encontro dos seus interesses. Em Abril a Espiral de Vontades apresenta a maior bota feita em crochê do mundo. Luísa Martins sublinha que “este é um bom exemplo de uma terra pequena onde se consegue retardar o envelhecimento”.

As demências vão aumentar exponencialmente

Em Maio do ano passado a Santa Casa da Misericórdia de Castro Marim inaugurou a única estrutura residencial para doentes com Alzheimer e outras Demências do Algarve e Alentejo. A sua diretora, Iola Fernandes, partilhou que tudo começou há 10 anos atrás quando “fomos percebendo que a percentagem de população com demência que nos chegava era cada vez maior” e que “a forma como os lares tradicionais se organizavam não respondia de uma forma eficaz” à problemática.

Estrutura Residencial “José Cabrita” tem capacidade para 70 doentes em internamento e 20 doentes em regime de centro de dia e, de momento, está sem vagas disponíveis. A maioria dos doentes são do Barlavento algarvio mas chegam outros de várias partes do país e até estrangeiros. A diretora técnica afirma que: “Foi muito audaz uma pequena instituição, num pequeno concelho, lançar um projeto que serve toda a região. Tivemos de nos reinventar, perceber mais sobre demências.”

Iola Fernandes assegura que com o envelhecimento populacional as demências vão aumentar exponencialmente e “não podemos ter a ilusão de que existem respostas sociais para toda esta população, pelo que vamos ter de dar meios às pessoas para viverem no seu ambiente natural e respostas especializadas, o internamente, apenas para os casos mais difíceis”.

A próxima conversa está marcada para dia 16 de Fevereiro, pelas 19h00, na Casa Manuel Teixeira Gomes e é sobre “Imigração – Desafios e Benefícios da Multiculturalidade”.

Teia D’Impulsos celebra “a liberdade de partilhar boas ideias” com uma série de tertúlias

Sob o lema “a liberdade de partilhar boas ideias” a Associação Teia D’Impulsos convida a quatro tertúlias Teia D’Ideias no âmbito das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, na cidade de Portimão, com o objetivo de compreender onde estaremos nós daqui a outros 50 anos em diferentes questões de uma verdadeira “terra democrática”. 

As datas de todas as conversas já estão lançadas e  decorrerão sempre à sexta-feira, pelas 19h00, na Casa Manuel Teixeira Gomes, acerca de temáticas tão transversais e atuais quanto o envelhecimento e a saúde mental, a imigração e a multiculturalidade, a juventude e a tecnologia, o ambiente e a sustentabilidade. 

A primeira talk acontece já no dia 26 de Janeiro sobre “Envelhecimento e Saúde Mental”, de forma a perceber o impacto do envelhecimento na saúde mental na região do Algarve, qual o estado das instituições de resposta a estas problemáticas e quais as iniciativas existentes na comunidade que promovem o envelhecimento ativo.

Juntam-se à conversa as convidadas Maria do Carmo Cruz, Coordenadora Regional de Saúde Mental da Região do Algarve CHUA; Iola Fernandes, Diretora Geral da Santa Casa da Misericórdia de Castro Marim e Diretora Técnica da Estrutura Residencial José Cabrita – Alzheimer e outras Demências e Luísa Martins, Presidente da Associação Espiral de Vontades sediada em Monchique.

A moderação ficará a cargo de Elisabete Rodrigues, Diretora do jornal Sul Informação, e o evento será também transmitido em direto no Facebook da Teia D’Impulsos. As tertúlias Teia D’Ideias contam com o apoio do Município de Portimão e da Delta Cafés.

Especial Teia D’Ideias

Um debate que lançou ideias que deverão ser tidas em conta para a construção de Portimão. No dia 5 de Dezembro a Teia D’Impulsos organizou um Teia D’Ideias especial comemorativo pelo Dia da Cidade de Portimão, que se aproxima. O presidente da Associação, e moderador desta conversa, Luís Brito, deixa-nos o resumo de um encontro que tantas e importantes reflexões trouxe para o futuro da nossa cidade.

A poucos dias do início do ano em que serão comemorados os 50 anos sobre a instalação da democracia em Portugal e os 100 anos de elevação de Portimão a cidade, a Teia D’Impulsos promoveu um debate sobre o tema Portimão, uma cidade em construção.

Tendo como convidados Marco Rodrigues (ARQ10) da área da arquitetura, Rui Batalau (ISMAT) da área do desporto, Rosa Poucochinho (GRATO) da área social e Júlio Ferreira (Alvor FM e Choque Frontal ao Vivo) da área da cultura, e com uma plateia eclética e com a presença de João Gambôa, vereador do Município de Portimão e Isabel Soares, chefe de Divisão de Museus, Património e Arquivo Histórico, o debate foi rico, divergente e lançaram se ideias que deverão ser tidas em conta para a construção de Portimão.

De muita coisa se falou, todas com importância e pertinência porque construir uma cidade não pode passar pela simples comparação com outras cidades, muitas vezes muito superiores a Portimão, nem tão pouco por executar vontades pessoais na expectativa de solucionar problemas. A questão do trânsito em Portimão, segundo a perspetiva de Marco Rodrigues, não passa por retirar os carros do centro da cidade mas sim por abrir vias e conectar espaço, passa por planear a interligação entre as infraestruturas com base nas dinâmicas sociais e económicas, tendo por base o espaço e a valorização do que existe.

Já na área da educação, Rui Batalau expressou a realidade dos professores, que todos conhecemos através da televisão, e que se agravou com a chegada de um número muito significativo de imigrantes. A falta de reconhecimento e respeito pela carreira docente associado à falta de condições para exercerem e aos desafios colocados pela diversidade de nacionalidades, culturas e hábitos, está neste momento a condicionar não só a formação destes alunos imigrantes mas também dos nativos. De uma forma clara está-se a colocar em causa a formação e a educação de todos estes jovens portugueses e estrangeiros, resultado de uma falta de planeamento, de reformas para os professores e de infraestruturas e equipamentos.

No que ao desporto diz respeito, Rui Batalau frisa a urgência de se construir um ‘Parque da Cidade’ onde os cerca de 60 mil habitantes de Portimão possam, de forma formal ou informal, desenvolver a sua atitude física. Da mesma forma, não compreende a inexistência de uma piscina olímpica no barlavento algarvio nem tão pouco a incapacidade que os municípios têm demonstrado de se aliar numa gestão racional e sustentável de construção e gestão de equipas desportivas de elevada relevância para o território.

Rosa Poucochinho relatou as valências sociais do GRATO, com especial ênfase para a necessidade de criar condições de apoio e humanização das atividades desenvolvidas e que são fundamentais para a sobrevivência de muitas pessoas e famílias. Referiu ainda que ao invés de um desinteresse genérico por parte da sociedade, resultado de algum individualismo, o CLAS é um exemplo de cooperação, partilha e apoio entre as mais de 50 instituições que, direta ou indiretamente, trabalham na área social em Portimão.

cultura vive hoje em Portimão um momento crescente mas ainda muito longe daquilo que poderia constituir a operacionalização de um plano estratégico para a Cultura e que deveria começar nas escolas com ações de educação cultural.

Uma programação elitista e, mais ainda, uma atitude elitista promovida pelo Teatro Municipal de Portimão (TEMPO), no seu início, levou ao afastamento da população e ao crescente estigma de que o “TEMPO era só para algumas pessoas“, que demora a desconstruir e que criou um hiato entre aquilo que deveria ser a missão de um equipamento desta natureza e o que realmente aconteceu. Esta reflexão de Júlio Ferreira terminou com um sentimento de mudança progressiva na programação cultural, deixando de resultar da vontade de uma pessoa e passando a integrar uma lógica de diversidade e de promoção da cultura para todos.

Antes das intervenções do público, a Isabel Soares e o João Gambôa tomaram da palavra para explicarem o trabalho que o museu de Portimão e a Casa Manuel Teixeira Gomes desenvolvem junto da comunidade em geral e dos jovens em particular assim como do trabalho invisível que é desenvolvido no âmbito da investigação e da preservação do espólio material e imaterial da história de Portimão, assim como para explicarem o potencial que Portimão representa em termos regionais e nacionais, refletido na enorme procura por imigrantes e investidores.

O público aproveitou a oportunidade para realçar a importância de que tudo o que tem que ver com construção e desenvolvimento deve ter como base a responsabilidade ambiental e a sustentabilidade de ecossistemas. Foram ainda abordadas as temáticas dos imigrantes e a sua importância na sociedade de Portimão, bem como do papel que o turismo ocupa na vida de Portimão e do Algarve. Em jeito de conclusão:

   • Ouvir a sociedade terá de ser uma prática incondicional do poder político, num exercício de proporcionar aos cidadãos proximidade com as decisões políticas;

   • A partilha de recursos por parte dos municípios, para além de representar uma gestão racional e sustentável, irá proporcionar um maior e mais equitativo desenvolvimento social;

   • É imperativo construir planos estratégicos para que o desenvolvimento seja orientado e alinhado dentro de cada município e entre municípios;

   • Portimão é uma cidade em que a construção com betão, é evidente, mas em que o Parque da Cidade ainda não passou de ideias, ambições, desenhos e concursos. O Parque da Cidade é um elemento chave no desenvolvimento sustentável de Portimão.

Palavras de Luís Brito, presidente Teia D’Impulsos

Teia D’Impulsos renova distinção de Marca Entidade Empregadora Inclusiva

Associação Teia D’Impulsos voltou a ser distinguida com o selo de Marca Entidade Empregadora Inclusiva, uma iniciativa do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP).

A 4ª edição da Marca Entidade Empregadora Inclusiva avaliou a adoção de políticas e práticas inclusivas, por parte das entidades empregadoras, durante os anos de 2021 e 2022. A distinção é, assim, atribuída de dois em dois anos e já em 2021 a Associação Teia D’Impulsos candidatava-se pela primeira vez à iniciativa e foi uma das entidades distinguidas.

É identificado um importante conjunto de atuações e práticas de gestão que consubstanciam organizações mais inclusivas e com maior responsabilidade social, fatores que determinam o seu merecido destaque e reconhecimento”, atenta o Presidente do Conselho Diretivo do IEFP, Domingos Lopes.

As entidades foram avaliadas nos domínios do recrutamento, desenvolvimento e progressão profissional, manutenção e retoma de emprego, acessibilidades e serviço e relação com a comunidade.

Em 2023 foram submetidas 162 candidaturas, um aumento de 23% face à última edição, o que resultou em 54 entidades distinguidas com a Marca Entidade Empregadora Inclusiva, por todo o território nacional, apenas duas das quais na região do Algarve: a Teia D’Impulsos e a Existir – Associação para a Intervenção e Reabilitação de Populações Deficientes e Desfavorecidas.

Entre o leque de vencedores contabilizam-se 99.448 colaboradores dos quais 3.251 com algum tipo de deficiência (3,3%).

Luís Brito, Presidente da Teia D’Impulsos, afirma que: “A Marca Empregadora Inclusiva é um título atribuído pelo IEFP a entidades empregadoras que têm uma preocupação acrescida e desenvolve ações que promovem a inclusão quer no âmbito de trabalho quer na comunidade da sua área geográfica. Pela segunda vez consecutiva a Teia D’Impulsos vê reconhecidas as suas políticas e ações que promovem a inclusão internamente e junto da comunidade algarvia.

Uma relação inclusiva com a comunidade

A Teia D’Impulsos foi distinguida no domínio do serviço e relação com a comunidade. A associação tem vindo a investir na melhoria das acessibilidades da sua sede, no Espaço Raiz em Portimão, com destaque para a sua Horta Sensorial que foi pensada e construída para todos, independentemente das suas necessidades, características e competências.

Foram também tidos em conta todos os seus projetos que promovem a inclusão, entre os quais, em termos desportivos, a Vela Solidária com a sua Escola de Vela Adaptada que, inclusive, já formou campeões mundiais e o ECOS – Oficina de Dança Inclusiva destinada a crianças, jovens e adultos com e sem deficiência.

Ao nível social, destaque para o projeto FICA – Férias Inclusivas para a Comunidade Algarvia que, desde 2018, proporciona umas férias de verão com experiências diferenciadoras a crianças e jovens com deficiência, e o HELP – Apoio ao Cuidador com a mesma valência, mas em momentos esporádicos ao longo de todo o ano, e cuja ambição para o futuro é a criança de um grupo de cuidadores informais para a partilha de testemunhos.

No futuro, a TDI planeia continuar a sua missão de promoção da inclusão e da acessibilidade na comunidade algarvia, através das iniciativas já em marcha e do desenvolvimento de novas ideias

Teia D’Impulsos reflete o papel de Portimão como “cidade em construção” e de olhos postos no futuro

No âmbito das comemorações do Dia da Cidade, a Associação Teia D’Impulsos realiza um Teia D’Ideias especial dedicado ao tema “Portimão, uma Cidade em Construção”, colocando representantes de diferentes áreas de intervenção que contribuem para o futuro promissor de uma cidade. 

O encontro está marcado para o próximo dia 5 de Dezembro, pelas 19h00, na Casa Manuel Teixeira Gomes, espaço cultural no centro da cidade de Portimão. A entrada é livre.

A tertúlia será conduzida por Luís Brito, presidente da Teia D’Impulsos, e a partilhar os seus pontos de vista para o crescimento sustentável da cidade, nas suas diversas dimensões, juntam-se à conversa: Antonieta Guerreiro, presidente do GRATO – Grupo de Apoio aos Toxicodependentes (sociedade); Júlio Ferreira, diretor de relações públicas da Alvor FM (cultura); Marco Rodrigues, arquiteto (urbanismo) e Rui Batalau, diretor da Licenciatura em Ciências do Desporto do ISMAT – Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes (desporto).

Caso não tenha disponibilidade de comparecer no encontro presencial, o Teia D’Ideias será também transmitido em direto no Facebook @teiadimpulsos. O evento conta com o apoio do Município de Portimão, da Casa Manuel Teixeira Gomes e da Delta Cafés.

Proporcionar um verão “igual ao de tantos outros meninos” a crianças e jovens com deficiência

Terminaram mais umas férias de verão inclusivas (FICA), para crianças e jovens com deficiência, promovidas pela Associação Teia D’Impulsos, em Portimão. Em 2023 o campo de férias integrou 35 jovens, entre os 6 e os 25 anos, que pelo menos durante uma semana este verão “não ficaram em casa” e puderam ter “uma semana igual à de tantos outros meninos”.

Desde o dia 31 de Julho que se realizou o projeto FICA – Férias Inclusivas para a Comunidade Algarvia e, ao longo de sete semanas consecutivas, muitas foram as experiências únicas e atividades diferenciadoras que proporcionou a crianças e jovens com deficiência. Praia, piscina, paddle e canoagem, vela adaptada, visitas a parques aquáticos, tardes de pintura e cozinha, contacto com os animais na Quinta Pedagógica da cidade, terapia a galope, fitness, yoga, etc. Todas estas atividades foram pensadas com vista ao bem estar e desenvolvimento, além da componente de diversão, destes jovens.

Foi no Espaço Raiz, sede da Teia D’Impulsos, que se realizou ontem a festa de encerramento de mais um projeto FICA – Férias Inclusivas para a Comunidade Algarvia. No evento estiveram presentes as crianças e jovens, os seus familiares, os monitores do FICA e ainda representantes do Município de Portimão, da Junta de Freguesia de Portimão, do Agrupamento de Escolas Eng. Nuno Mergulhão (onde as crianças passam parte do seu tempo) e da Santa Casa da Misericórdia de Alvor (pelas refeições), parceiros deste projeto.

A coordenadora do FICA, Inês Reis, começou por recordar a importância deste projeto através do qual “deixamos de ter crianças que passam, maioritariamente, o seu tempo de férias fechadas em casa para crianças que estão felizes a viver todas estas experiências”. No total, foram 35 jovens que tiveram a “oportunidade de, pelo menos, uma semana terem umas férias iguais às de tantos outros meninos independentemente das suas capacidades e limitações”.

Para o Município de Portimão, este é “um investimento que não tem valor”

 

A coordenadora do FICA, Inês Reis, começou por recordar a importância deste projeto através do qual “deixamos de ter crianças que passam, maioritariamente, o seu tempo de férias fechadas em casa para crianças que estão felizes a viver todas estas experiências”. No total, foram 35 jovens que tiveram a “oportunidade de, pelo menos, uma semana terem umas férias iguais às de tantos outros meninos independentemente das suas capacidades e limitações”.

Luís Brito, presidente da Teia D’Impulsos, quis deixar um agradecimento especial ao Município de Portimão sem o qual o FICA seria impossível de concretizar. “O projeto é 99% financiado pela Câmara Municipal e tem um custo bastante elevado. É um investimento que, na minha opinião, é o melhor de todos porque cria realmente igualdade e oportunidade para estes jovens.” O dirigente deixa como mensagem: “Temos de começar, enquanto sociedade, a ter um olhar e uma perspetiva diferentes sobre o que é integração, diversidade e a diferença entre cada um de nós. No final temos todos os mesmos direitos.”

O vereador José Pedro Cardoso, representante do Município de Portimão, enalteceu a iniciativa solicitando à Teia D’Impulsos que “continue a ter coragem de desafiar-nos a fazer projetos destes” pois “é um investimento que não tem valor”. Na sua visão, “o FICA só tem que vir para ficar e crescer”.

A Teia D’Impulsos gostaria de agradecer ainda a todos os restantes parceiros que possibilitaram a concretização de todas as atividades: Junta de Freguesia de Alvor, Município de Monchique, Carby, André Mota Fotografias e Vídeo, Play Surf, Taho’e Canoe Club, Villa Prana, Terapia a Galope, Mar Calmo, Type of Cyan, Aqualand e Slide & Splash.

Equipa portuguesa em 2º lugar no Mundial de Vela

"Sonhar com o ouro é legítimo"

A dupla portuguesa Guilherme Ribeiro e Pedro Câncio Reis conquistou, esta quarta-feira, a prata no Campeonato do Mundo de Vela, na classe adaptada RS Venture Connect, provando que “na vela adaptada Portugal está ao mais alto nível”.

A prova decorreu entre 11 a 16 de Agosto, nas águas de Haia, Países Baixos. Os atletas portugueses Guilherme Ribeiro, do Iate Clube Marina de Portimão, e Pedro Câncio Reis, do Clube Naval de Cascais, acompanhados pelo treinador Luís Brito, voltaram a subir ao pódio após a sua estreia em mundiais, o ano passado, em Omã, onde alcançaram o bronze.

Com cinco pontos de diferença, os franceses Ange Margaron e Olivier Ducruix sagraram-se campeões e o terceiro lugar foi entregue aos canadianos John McRoberts e Scott Lutes.

“A medalha de prata é como lutar e superar um objetivo há muito tempo traçado”

O trabalho desenvolvido pela Vela Solidária tem-se revelado de extrema importância para o desenvolvimento da vela adaptada em Portugal e para a obtenção de resultados de excelência no panorama mundial.

Em declarações à Agência Lusa, o velejador Guilherme Ribeiro afirma que esta nova conquista é o resultado tão esperado de um “trabalho árduo” e de “muitas horas de esforço na luta de sempre”. A dupla já sonha mais além: “Sonhar com o ouro é legítimo e vamos trabalhar para isso, uma etapa de cada vez.”

Pedro Câncio Reis acrescenta que “a medalha de prata é como lutar e superar um objetivo há muito tempo traçado. Uma das poucas medalhas que me falta ganhar é o Campeonato do Mundo e sinto que temos trabalhado e esforçado muito e estamos cada vez mais perto”.

Para o sucesso da dupla muito contribui a “sintonia” da equipa, embora exista ainda “muita coisa a melhorar”. Pedro Câncio Reis adianta que “antes das regatas estamos contentes e sempre a mandar piadas. Todo o peso da pressão inerente à competição é diluído e torna as coisas mais leves, sem tirar o foco”.

A representação portuguesa contou com o apoio da Teia D’Impulsos, Iate Clube Marina de Portimão, Associação Portuguesa da Classe Hansa, Federação Portuguesa de Vela, Associação Regional de Vela do Sul, Future Healthcare, World Sailing e do Município de Portimão.

Férias de verão para crianças e jovens? São com a Teia D’Impulsos!

Até setembro, a Teia D’Impulsos está de braços abertos na Marina de Portimão para receber crianças e jovens, dos 6 aos 15 anos, no programa de férias “Entre a Terra e o Mar“.

Entre a terra e o mar estão escondidas as melhores aventuras para os pequenos exploradores! Quer de pé na água ou na areia a diversão é garantida. Nesta viagem que promete ser inesquecível vamos todos juntos navegar à vela, experimentar o surf e a canoagem. Debaixo de água e à beira mar estão peixinhos e conchas que trazem consigo histórias de conservação ambiental onde todos podemos ajudar.

2ª Semana a metade do preço

Aqui partilhamos alguns registos dos sorrisos e aventuras que já se viveram nas nossas férias.

Junte-se a nós e aproveite a nossa oferta de 50% de desconto exclusiva para sócios da Associação. Ao inscrever o seu filho duas semanas, a segunda semana fica a metade do valor. Ainda temos vagas!

Inscreva o seu jovem aqui e para mais informações contacte o 910 174 814.

LOTA COOL MARKET INSPIRA “BLUE FEVER” ENTRE 5 E 9 DE JULHO EM PORTIMÃO

O mercado mais cool do Sul está prestes a regressar, com a melhor vibe, à Zona Ribeirinha de Portimão. De 5 a 9 de Julho, entre as 18h e a 01h, todos os caminhos vão dar ao Lota COOL Market.

É um dos eventos mais esperados na cidade de Portimão e que marca o início do Verão. As noites quentes de julho convidam a um passeio junto ao Rio Arade e é lá que encontrará o recinto deste mercado pop-up, assente na consciencialização ambiental, com o tema “Blue Fever”.

Nesta nova edição o evento é maior e mais dinâmico: no Jardim Visconde Bivar com o Young Cool Vibe, espaço dedicado a jovens artesãos que ali vão dar pequenos workshops da sua arte nos finais de tarde; será criada uma zona de restauração, com foodtrucks e pequenos veículos e o largo em frente à Antiga Lota recebe artesãos, produtores locais e o palco Choque Frontal ao Vivo com grandes concertos, todas as noites, de músicos e bandas bem conhecidas da região:

A essência do Lota Cool Market:
um espírito jovem e descontraído

Com os mais originais foodtrucks, terá à sua escolha street food para todos os gostos: entre comida vegan e vegetariana, hambúrgueres, hot dogs, pizza, empanadas e crepes doces e salgados. Nos doces, destaque para tripas de Aveiro, waffles belgas, brigadeiros e gelados soft.

A acompanhar, a conceituada marca de gin alentejana Black Pig, a boa ginja em copinhos de chocolate, licores algarvios Granny ‘s Flavor e os melhores vinhos da região com a Algarve Views e a Comissão Vitivinícola do Algarve.

No artesanato e novo design, as marcas presentes inspiram-nos a reutilizar e a reciclar materiais que, através da sua arte, ganham uma nova vida. No Lota Cool Market encontrar peças em crochê e macramê, vestuário, bijuteria botânica e cosmética natural, entre outros. A Happy Van traz-nos uma carrinha pão de forma que serve de Photobus para captar boas recordações do evento, haverá pinturas com tinta de henna e insufláveis para as crianças.

O Lota Cool Market é já uma referência e tem vindo a conquistar cada vez mais público pelo seu espírito jovem e descontraído, além de ser um evento amigo do meio ambienteÉ esta a sua essência. Queremos dar um ‘salto’ e, por isso, a nossa aposta em ocupar mais área e oferecer mais momentos de animação”, realça a Organização, a cargo da Associação Teia D’Impulsos, em parceria com o Município de Portimão.

Este volta a ser um Ecoevento, graças à parceria com a Algar, que tem em vista a promoção da prevenção e redução de quantidades de resíduos produzidos, a separação de embalagens e a recolha seletiva e encaminhamento para reciclagem das quantidades produzidas no Lota COOL Market.

Conta ainda com os apoios dos Portos de Sines e do Algarve, Luís Pinto Mediação Seguros, EMARP, Super Bock, Vinhos do Algarve, Visit Algarve, Prime Digital, Choque Frontal ao Vivo, Sul Informação, Tomorrow e Alvor FM.